CENÁRIOS-Lenovo ganha força em smartphones; mais chinesas preparam desembarque no Brasil

quinta-feira, 27 de novembro de 2014 18:48 BRST
 

Por Luciana Bruno

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Lenovo tem ganhado força no mercado brasileiro de celulares inteligentes após a compra da Motorola, e especialistas preveem que outras fabricantes chinesas de aparelhos devem desembarcar no país em 2015, em estratégia que pode compensar em parte a desaceleração dos mercados europeu e norte-americano.

A compra da Motorola concluída em 30 de outubro fez a Lenovo crescer nos mercados emergentes, principalmente no Brasil, disse o analista da consultoria IDC Reinaldo Sakis. Para ele, isso deve fazer com que outras chinesas tragam lançamentos ao Brasil no ano que vem.

A desaceleração dos mercados europeu e norte-americano também contribui para que as fabricantes chinesas procurem países emergentes onde o crescimento é maior. "Os lançamentos devem vir no início do ano. Há varejistas comentando que já compraram (smartphones) das chinesas", declarou.

A Lenovo, que inicialmente tinha mais força no Brasil em PCs e tablets, passou a ter fatia adicional de 7 por cento do mercado nacional de smartphones, herdada da Motorola, segundo dados de terceiro trimestre da empresa de pesquisa em tecnologia Gartner.

A chinesa diz estar no início de sua trajetória de ascensão no país, disse o diretor-executivo de marketing para a América Latina da Lenovo, Humberto de Biasi. A companhia também atua no Brasil com a marca CCE, de smartphones de entrada, mais baratos.

"A Lenovo decidiu não iniciar a venda de celulares Lenovo no Brasil", disse Biasi, explicando que o avanço no país se dará por meio da Motorola. "Os resultados recentes mostram que a Motorola pode ser motor de crescimento significativo para a Lenovo, tanto em produtos como em resultados", afirmou.

Em janeiro, a Lenovo anunciou a compra da divisão de dispositivos móveis Motorola do Google por 2,91 bilhões de dólares, no que foi o maior negócio de tecnologia chinês de todos os tempos. [nL2N0L32NK]

"Posso dizer que nossa participação de mercado vem crescendo de maneira robusta, mas não é com CCE que vamos ter crescimento, vai ser com a Motorola", declarou Biasi. "O Brasil é sem dúvida um dos mercados prioritários."   Continuação...