Avião movido a energia solar ficará parado 9 meses no Havaí para reparos

quarta-feira, 15 de julho de 2015 12:07 BRT
 

Por Steve Gorman

(Reuters) - Um avião movido a energia solar que completou metade de uma tentativa de circunavegar o globo ficará parado durante pelo menos 9 meses no Havaí por causa de um dano nas baterias sofrido durante seu voo recorde de 118 horas até Oahu, no Japão, disse a equipe do projeto nesta quarta-feira.

A Solar Impulse, uma aeronave experimental para um passageiro, não deve realizar a próxima etapa de sua jornada – um voo de quatro dias e quatro noite até Phoenix, no Estado norte-americano do Arizona – até o final de abril ou começo de maio de 2016, informou a equipe.

É preciso tempo adicional para consertar as quatro baterias do avião, que armazenam energia do sol durante o dia para manter a aeronave funcionando de noite, o que lhe permite planar o dia todo em voos de distâncias extremamente longas.

Por causa dos reparos e testes, a próxima oportunidade para finalizar a travessia transpacífica acontecerá na próxima primavera do Hemisfério Norte, levando em conta as condições climáticas e as horas suficientes de luz.

As baterias ficaram superaquecidas durante a ascensão inicial da aeronave, logo após a decolagem de Nagoya, no Japão, em 29 de junho, a caminho do Havaí, a oitava e mais desafiadora etapa da circunavegação, declararam autoridades da missão.

Ainda assim, o aviador suíço Andre Borschberg e sua equipe completaram com sucesso a etapa entre o Japão e o Havaí, pousando perto de Honolulu no dia 3 de julho após cinco dias e cinco noites, ou 117 horas e 52 minutos, no ar.

 
Avião movido a energia solar Solar Impulse 2 no aeroporto de Nagoya, no Japão.  23/06/2015  REUTERS/Thomas Peter