Risco de ataques em carros pode ser maior do que apenas o caso da Fiat Chrysler, diz agência reguladora

sexta-feira, 31 de julho de 2015 19:13 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - Os problemas de cibersegurança que levaram a Fiat Chrysler Automobiles NV a fazer um recall de 1,4 milhão de veículos este mês podem representar um problema para carros e caminhões de outras fabricantes, disse a maior reguladora de segurança automotiva dos Estados Unidos nesta sexta-feira.

Mark Rosekind, chefe da Administração Nacional de Segurança no Tráfego de Rodovias, disse que sua agência reguladora está tentando determinar quantas montadoras receberam componentes wireless da mesma companhia que forneceu para a Fiat Chrysler.

"A fornecedora não apenas forneceu rádios para a Chrysler, mas para várias outras montadoras. Muito do nosso trabalho agora é tentar descobrir quão ampla essa vulnerabilidade pode ser," disse Roskind aos repórteres.

Na primeira ação deste tipo para a indústria automotiva, a Fiat Chrysler anunciou na semana passada que faria o recall de 1,4 milhão de veículos nos EUA para instalar um software que preveniria que hackers ganhassem remotamente o controle do motor, volante e outros sistemas.

"Isso é um alerta. Todos estão falando sobre cibersegurança. Agora você tem que melhorar. Tem que ver toda a indústria lidando proativamente com essas coisa", disse Rosekind.

(Por David Morgan)