Oi tem lucro líquido de R$671 mi no 2º tri com corte de custos

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 11:11 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A operadora de telecomunicações Oi teve lucro no segundo trimestre, recuperando-se de prejuízo no mesmo período do ano passado, ajudada pela redução de custos e despesas operacionais nas operações brasileiras, informou nesta quinta-feira.

A empresa teve lucro líquido de 671 milhões de reais no segundo trimestre, ante prejuízo de 217 milhões de reais no período de abril a junho de 2014. O resultado líquido também inclui a venda das operações da PT Portugal, concluída no início deste ano.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de rotina das operações brasileiras aumentou 10,7 por cento em relação ao segundo trimestre de 2014, para 1,81 bilhão de reais.

O resultado do trimestre foi afetado positivamente pela redução de 10,5 por cento nos custos e despesas operacionais nas operações brasileiras, para 4,7 bilhões de reais, com diminuição de quadro de funcionários e de custos de investimentos.

A receita líquida total no Brasil atingiu 6,56 bilhões de reais, queda de 5,5 por cento na comparação anual, afetada pela baixa das taxas de interconexão, pela redução da receita com aparelhos e pela diminuição da receita de voz.

"Em abril, a Oi terceirizou a operação de handsets (aparelhos), gerando uma queda de aproximadamente 140 milhões de reais na receita de aparelhos da mobilidade pessoal", disse a empresa em seu relatório de resultados, completando que a iniciativa irá melhorar a margem e o capital de giro.

A receita líquida de serviços, que exclui receita de vendas de aparelhos, ficou em 6,49 bilhões de reais, queda de 3,3 por cento frente à mesma etapa de 2014, também afetada pela queda da taxa de interconexão e cenário econômico mais difícil.

A receita líquida de serviços do segmento residencial caiu 2,4 por cento, para 2,46 bilhões de reais, enquanto a receita líquida de clientes de mobilidade pessoal (celular) atingiu 1,76 bilhão de reais, aumento de 3,5 por cento ano contra ano, com aumento de 2,7 por cento das recargas pré-pagas impulsionadas pelo crescimento da utilização de dados, cujas receitas subiram 51 por cento.

Já a receita líquida do segmento corporativo e de pequenas e médias empresas diminuiu 4,5 por cento no período, segundo a empresa, afetada pelo cenário macroeconômico ruim.   Continuação...

 
Logo da operadora de telecomunicações Oi visto em Shopping em São Paulo.  14/11/2014  REUTERS/Nacho Doce