Microsoft é acusada de discriminação contra mulheres em salários e promoções

quarta-feira, 16 de setembro de 2015 17:37 BRT
 

(Reuters) - A Microsoft foi alvo nesta quarta-feira de uma proposta de ação coletiva em um tribunal dos Estados Unidos com acusações de que sua política de classificação de desempenho de funcionários para determinar salários e promoções levou à discriminação contra mulheres.

O processo foi apresentado no tribunal federal em Seattle, Washington, pela ex-técnica Katherine Moussouris, que alega ter sido preterida em promoções dadas a homens menos qualificados e que seus supervisores teriam dito que não gostavam de suas "maneiras ou estilo".

A Microsoft, sediada em Redmond, Washington, dá aos funcionários classificações numéricas baseadas em avaliações de desempenho, e rotineiramente dá notas mais baixas às funcionárias baseando-se em critérios subjetivos, de acordo com o processo.

"A Microsoft sistematicamente subestima os esforços e conquistas de suas funcionárias técnicas", disse Adam Klein, da empresa de advocacia especializada em legislação trabalhista Outten & Golden, de Nova York, uma das empresas que está representando Moussouris.

A Microsoft não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.

(Por Daniel Wiessner; reportagem por Daniel Wiessner)