Empresas de armamentos ganham clientes com temores de ataques cibernéticos

sexta-feira, 18 de setembro de 2015 19:20 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Uma forte onda de ataques cibernéticos está angariando novos clientes para companhias conforme a preocupação sobre a perda de dados sensíveis migra de comandantes militares para chefes de empresas.

Bancos, órgãos públicos e grupos de mídia são os novos clientes de empresas de defesa que estão obtendo uma crescente proporção de suas receitas com segurança cibernética, o que ajuda a compensar o menor gasto dos países ocidentais com armamento tradicional.

Comandantes militares em uma feira de armamentos esta semana em Londres alertaram que longe dos campos de batalha, os ataques cibernéticos abriram uma nova frente na qual empresas, assim como governos, precisam se defender.

"Não será mais apenas o espaço físico que será contestado, mas também o espaço virtual, e esse último combate pode até mesmo dominar os procedimentos", disse o marechal das Forças Aéreas Andrew Pulford, chefe da Royal Air Force, da Grã-Bretanha.

Hakan Buskhe, presidente-executivo da sueca Saab, alertou que a ameaça cibernética estava crescendo semana a semana e mudando de formas rapidamente.

"Acredito que este é o maior problema que a indústria de defesa, especialmente na Europa e nos Estados Unidos, enfrentará daqui para frente", disse à Reuters.

(Por Tim Hepher e Sarah Young; reportagem adicional por Eric Auchard)