Executivo diz que HP foi alertada sobre práticas da Autonomy

sexta-feira, 25 de setembro de 2015 20:40 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A Hewlett-Packard foi alertada sobre as práticas da Autonomy, incluindo vendas de hardware e taxas de crescimento impulsionadas por diferentes regras de contabilidade, antes de comprar a empresa por 11 bilhões de dólares em um acordo malfadado, segundo o fundador Mike Lynch.

A HP está processando Lynch e o ex-diretor de finanças Sushovan Hussain, em Londres, por danos de cerca de 5,1 bilhões de dólares por sua gestão da Autonomy, alegando que se engajaram em atividades fraudulentas para impulsionar o valor da companhia.

Lynch disse nesta sexta-feira que as questões litigiosas, com as vendas de hardware e o reconhecimento de receitas em acordo com revendedores, foram levantadas em um relatório de diligência da KPMG.

O relatório, que se tornou público após acionistas norte-americanos prosseguirem com uma ação no país contra a HP, também mostra que a KPMG disse à HP que a diferença entre os padrões contábeis europeus e norte-americanos poderia afetar as taxas históricas de crescimento para a companhia.

"O relatório da KPMG contradiz diretamente as declarações feitas pela HP sobre a Autonomy, nas quais todo o caso é baseado", disse Lynch à Reuters. "A HP disse que não sabia coisas que claramente sabia".

"A HP não tinha conhecimento de que Lynch e Hussain maquinaram as vendas para valorizar a adição de revendedores e outras transações impróprias e práticas contábeis, todas inflaram artificialmente as receitas reportadas da Autonomy, representando erroneamente sua taxa de crescimento orgânico e exagerando seus lucros bruto e líquido", disse uma porta-voz da HP.

(Por Paul Sandle)