Reguladores europeus optam por linha dura sobre fusões de operadoras de telefonia

terça-feira, 13 de outubro de 2015 12:46 BRT
 

BRUXELAS (Reuters) - A Comissão Europeia jogou nesta terça-feira um balde de água fria sobre um pedido das operadoras de telecomunicações por uma abordagem mais flexível sobre as fusões no setor, levantando temores de que propostas de acordos no Reino Unido e na Itália sejam barradas por autoridades concorrenciais.

O vice-presidente da Comissão Europeia, Andrus Ansip, disse que a consolidação "não necessariamente é a resposta" e que as operadoras já estavam investindo em renovação de redes antes das fusões.

"Flexibilizar as regras de competição não é a resposta", disse Ansip em conferência promovida pelo jornal Financial Times e pelo lobby das operadoras ETNO. "A consolidação na indústria também não é necessariamente a resposta."

Os comentários de Ansip estão em linha com a posição sobre as fusões em telecomunicações tomada pela comissária de competição da UE, Margrethe Vestager, que assumiu o cargo no ano passado.

Ela recentemente bloqueou um acordo entre a TeliaSonera e Telenor na Dinamarca por preocupações de que levaria a preços mais altos aos consumidores, na primeira vez que uma operação como essa foi impedida desde que as operadoras iniciaram processos de consolidação dois anos atrás.

A posição de Ansip foi recebida com surpresa por executivos no evento que pensavam que o vice-presidente interino responsável por impulsionar o mercado digital seria mais receptivo a seus argumentos segundo os quais uma consolidação permitiria mais investimentos em redes.

"Nosso setor precisa de escala e os mercados precisam funcionar em níveis ótimos", disseram os presidente-executivos de 10 operadoras europeias --incluindo Portugal Telecom, Telecom Italia e Telefónica-- em comunicado. "Queremos garantir mais investimento e mais valor para os consumidores."

Enquanto isso, o órgão de defesa da concorrencia do Reino Unido está vetando um negócio de 20 bilhões de dólares que envolve a compra da operadora EE, da Orange e Deutsche Telekom, pela BT.