Apple enfrenta pode ter perda de US$400 mi em processo sobre patente de universidade

quarta-feira, 14 de outubro de 2015 20:15 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Potenciais prejuízos da Apple em uma luta de patentes com o órgão licenciador da Universidade de Wisconsin podem chegar a 400 milhões, conforme um processo sobre a quantia que a Apple deve por infringir uma patente de processador entrou em curso nesta quarta-feira, disseram duas pessoas a par do caso.

O número é menos da metade da quantia que o juiz distrital William Conley citou no mês passado como a alegação máxima da Wisconsin Alumni Research Foundation por danos.

Em uma decisão pré-julgamento em 29 de setembro, Conley recusou um pedido da Apple para limitar os danos no caso. Ele disse que a solicitação máxima da Warf era de 862,4 milhões de dólares, citando os próprios dados da Apple.

Na terça-feira, o juiz federal em Madison, Wisconsin, disse que a Apple violou uma patente possuída pela Warf que ajuda a melhorar a eficiência de chips. O júri também disse que a patente era válida.

A Warf processou a Apple em janeiro de 2014 alegando infração da sua patente de 1998 para melhora da eficiência de processadores. O júri estava considerando se a os processadores A7, A8 e A8X da Apple, encontrados nos iPhones 5s, 6 e 6 Plus, assim como em várias versões do iPad, violam a patente.

(Por Andrew Chung)