Controverso projeto de lei sobre segurança cibernética avança no Senado dos EUA

quinta-feira, 22 de outubro de 2015 15:46 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Um projeto de lei postergado por muito tempo e que pode tornar mais fácil para corporações compartilharem informações sobre ataques cibernéticos entre si e com o governo sem medo de ações judiciais avançou no Senado dos Estados Unidos com forte apoio de membros de ambos os partidos nesta quinta-feira.

Dezenas de grupos industriais e empresariais, incluindo a Câmara de Comércio dos EUA, apoiam o Ato de Compartilhamento de Informações sobre Cibersegurança (Cisa, na sigla em inglês) e acreditam que encorajaria empresas e governos a compartilhar informações que podem ajudar a frustrar ciberataques de grande repercussão.

Mas muitos ativistas defensores da privacidade e alguns parlamentares, incluindo o senador republicano Rand Paul e o senador democrata Ron Wyden se opõe veementemente ao projeto. Várias grandes empresas de tecnologia também foram contra a medida, argumentando que ela não protege a privacidade dos usuários e faz pouco para prevenir ciberataques.

"O projeto garantiria imunidade legal a empresas que, ao compartilharem informações, na verdade violam sua privacidade", disse Paul no Senado logo após a votação com placar de 83 a 14, bem acima dos 60 votos "sim" necessários para que o projeto siga em frente.

O Senado começou a debater emendas à medida, que está no rumo para ser aprovada semana que vem. A Câmara dos Deputados aprovou sua versão da Cisa em abril com forte apoio de republicanos e democratas.

(Por Patricia Zengerle; reportagem adicional por Joe Menn)