Alemanha investiga diretor do Facebook por ignorar posts racistas

terça-feira, 10 de novembro de 2015 17:46 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - Promotores de Hamburgo lançaram uma investigação na sede europeia do Facebook sob a alegação de que a rede social falhou em remover discursos de ódio, disse uma porta-voz da promotoria nesta terça-feira.

O movimento foi anunciado no momento em que políticos e celebridades alemães expressam preocupações sobre o aumento de comentários antiestrangeiros em alemão no Facebook e em outras redes sociais conforme o país luta para lidar com o fluxo de cerca de 1 milhão de refugiados este ano.

O diretor administrativo do Facebook para Europa Central, do Norte e Leste, Martin Ott, baseado em Hamburgo, pode ser responsabilizado pela plataforma não ter removido comentários com discurso de ódio, disse a porta-voz. "Estamos em um estágio inicial", disse a porta-voz.

A chanceler Angela Merkel disse mais cedo este ano ser urgente que o Facebook faça mais. O ministro da justiça quer montar uma força tarefa com a empresa e outras redes sociais e provedores de internet com o objetivo de identificar posts criminosos mais rapidamente e retirá-los.

O Facebook disse que não iria comentar o status de uma possível investigação. "Mas podemos dizer que falta mérito às alegações e não houve violação a lei alemã pelo Facebook ou seus funcionários", disse um porta-voz do Facebook.

(Por Harro ten Wolde e Thomas Seythal)