Obama quer aumentar financiamento de ciber-segurança dos EUA

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016 13:53 BRST
 

Por Dustin Volz

WASHINGTON (Reuters) - A proposta de orçamento do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para o ano fiscal de 2017 pede 19 bilhões de dólares para a segurança cibernética de todo o governo norte-americano, um aumento de 5 bilhões de dólares em relação a este ano, de acordo com funcionários do alto escalão.

O pedido vem em um momento no qual o governo Obama vem lutando para lidar com o risco crescente representado por criminosos e Estados no mundo digital.

A iniciativa, que será divulgada nesta terça-feira, significa um aumento de mais de um terço em relação aos 14 bilhões de dólares requisitados em 2015, e irá incluir 3,1 bilhões de dólares para a modernização tecnológica de várias agências federais.

Não ficou claro se o Congresso, atualmente nas mãos dos republicanos, irá aprovar o incremento.

As ameaças cibernéticas estão "entre os perigos mais urgentes para a economia e a segurança nacional da América", afirmou Obama em um artigo de opinião publicado no jornal Wall Street Journal nesta terça-feira.

A solicitação de fundos adicionais é o sinal mais recente de que a Casa Branca pretende tornar a ciber-segurança uma grande prioridade no último ano da presidência de Obama.

A medida vem na esteira de uma série de ataques virtuais de grande porte contra o governo e empresas como a Sony Pictures e a Target, diante das quais se testemunhou uma inércia legislativa e a incerteza por parte do governo quanto à melhor abordagem para as ameaças cibernéticas crescentes.

Estas dificuldades se tornaram públicas no ano passado, quando o Escritório de Administração de Pessoal anunciou ter sido vítima de uma grande invasão que retirou informações sigilosas de aproximadamente 22 milhões de indivíduos de suas bases de dados.   Continuação...