Controladora da TIM prevê investir R$14 bi no Brasil nos próximos 3 anos

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016 09:26 BRST
 

MILÃO (Reuters) - A Telecom Italia, controladora da TIM Participações no Brasil, disse nesta terça-feira que prevê investir até 14 bilhões de reais no país entre 2016 e 2018, onde prevê modernizar sua rede móvel, elevar participação de mercado e sua margem Ebitda.

Ao divulgar seu novo plano de investimento, a Telecom Italia disse que investirá 12 bilhões de euros na Itália nos próximos três anos, incluindo 3,6 bilhões de euros em cabos de fibra óptica. O novo plano para a Itália é 20 por cento maior que o plano trienal anterior.

A operadora italiana planeja ampliar seus investimentos em redes fixas e móveis mais rápidas em seu mercado doméstico nos próximos três anos, onde vê seu lucro principal voltando a crescer a partir de 2017, disse a companhia nesta terça-feira.

O ex-monopólio estatal, que tem enfrentado dificuldades por anos devido à falta de uma estratégia clara e que é visto como potencial alvo de aquisição, também informou uma queda de 20 por cento no lucro principal no ano passado, atingido por encargos não recorrentes que totalizaram 1,08 bilhão de euros e uma maior deterioração de seu desempenho no Brasil.

Excluindo efeitos não recorrentes e cambiais, o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do grupo caiu 4,5 por cento no ano passado.

Analistas disseram que o resultado do Ebitda ficou levemente abaixo das expectativas, mas comemoraram a volta do crescimento das receitas móveis na Itália no último trimestre do ano.

A companhia pretende recuperar sua liderança doméstica enquanto seus tradicionais serviços de telefonia fixa perdem apelo em meio à competição com rivais de Internet, com foco renovado na Itália em um período em que a desaceleração econômica tem pesado sobre sua subsidiária brasileira.

A Telecom Italia, cujo principal acionista é agora o grupo de mídia francês Vivendi, com participação de 21,4 por cento, disse que planeja fortalecer sua posição em entretenimento multimídia, incluindo vídeo, música, jogos e segmento editorial.

(Por Agnieszka Flak e Stefano Rebaudo)

 
Atendente em entrada de loja da TIM no centro do Rio de Janeiro. 20/08/2014 REUTERS/Pilar Olivares