Assange solicita a tribunal sueco a retirada de mandado de prisão

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 19:06 BRT
 

ESTOCOLMO (Reuters) - Os advogados de Julian Assange solicitaram a um tribunal sueco que derrube o mandado de prisão contra o fundador do Wikileaks seguindo uma determinação de um painel das Nações Unidas de que sua estadia na embaixada do Equador em Londres corresponde a uma prisão arbitrária.

Assange, 44 anos, se refugiou na embaixada em junho de 2012 para evitar a extradição para a Suécia, onde é procurado para interrogatório sobre alegações, as quais ele nega, de que cometeu estupro em 2010.

Ele diz que a acusação é um estratagema que finalmente levaria a sua extradição aos EUA, onde uma investigação criminal sobre as atividades do WikiLeaks está em andamento.

"Consideramos que o número de novas circunstâncias aumentou, o que significa que há motivos para rever a decisão anterior", disse um dos advogados de Assange, Thomas Olsson, nesta segunda-feira.

O Equador concedeu asilo a Assange e ele afirma que seus direitos têm sido infringidos porque é impedido de viajar para o país sul-americano.

Grã-Bretanha e Suécia negam que Assange esteja sendo privado de liberdade e a procuradora sueca encarregada do caso disse que renovará o pedido para interrogar Assange.

(Por Daniel Dickson)

 
Em imagem de arquivo, o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, fala na varanda da embaixada do Equador em Londres. 5 de fevereiro de 2016. REUTERS/Peter Nicholls/Files