Compartilhamento de carros não será tão impactante quanto carros autônomos, diz estudo

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016 19:10 BRT
 

DETROIT (Reuters) - O crescimento dos serviços de compartilhamento de carros vai reduzir vendas e receitas das tradicionais fabricantes de veículos até 2021, mas não será tão revolucionária quanto os carros autônomos no fim da década, prevê um estudo.

A evolução dos serviços de compartilhamento de veículos, como o Zipcar, da Avis Budget e o Car2Go, da Daimler, podem reduzir as vendas globais de veículos em 550 mil em 2021 e custar às montadoras mais de 8 bilhões de dólares em receitas perdidas, segundo uma pesquisa divulgada nesta terça-feira pelo Boston Consulting Group.

Mas o compartilhamento de veículos terá um impacto muito maior na Europa e na região Ásia-Pacífico do que na América do Norte, previu o estudo.

As montadoras na América do Norte devem perder cerca de 52 mil vendas ao ano para clientes de compartilhamento de veículos em 2021, mas isto será ofuscado por vendas de 44 mil veículos ao ano para as frotas de compartilhamento de veículos, com uma perda líquida de apenas 8 mil veículos e um custo de pouco mais de 500 milhões de dólares, disseram pesquisadores do BCG.

No longo prazo, de acordo com o estudo, "os veículos autônomos terão um impacto muito maior em vendas de carros novos que o compartilhamento de carros", mas não até 2017.

O estudo não levou em conta o impacto no curto prazo de serviços de transportes urbanos como Uber e Lyft. Mas apontou que a chegada dos veículos autônomos no fim da década de 2020 levará a uma convergência dos modelos de compartilhamento de veículos e transportes urbanos.

(Por Paul Lienert)

 
Carro elétrico da companhia de compartilhamento de veículos  Car2Go é visto estacionado em frente aos escritórios da empresa em San Diego, Califórnia. 1º de setembro de 2015.  REUTERS/Mike Blake