Executivo do Facebook preso em SP deve ser solto nesta 4ª, diz tribunal

quarta-feira, 2 de março de 2016 11:11 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O vice-presidente do Facebook para América Latina, o argentino Diego Dzodan, obteve um habeas corpus para deixar a prisão após ser detido em São Paulo na véspera por descumprimento de uma ordem judicial que cobrava entrega de informações sobre usuários do aplicativo Whatsapp, informou o Tribunal de Justiça de Sergipe nesta quarta-feira.

O tribunal informou que a expectativa é que o executivo seja solto ainda nesta quarta. Procurada, a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo não pode informar de imediato quando Dzodan será solto do Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, na capital.

Dzodan, vice-presidente do Facebook e do Instagram na América Latina, foi preso em decorrência de um mandado de prisão preventiva expedido pelo juiz Marcel Maia Montalvão, da vara criminal de Lagarto (SE).

O juiz deferiu pedido da PF para quebra de sigilo de mensagens trocadas pelo aplicativo WhatsApp, que pertence ao Facebook, como parte da obtenção de provas em processo de tráfico de drogas interestadual que corre em segredo de Justiça.

O Facebook classificou a prisão de Dzodan como uma medida "extrema e desproporcional".

(Por Brad Haynes, com reportagem adicional de Alberto Alerigi Jr.)

 
Entrada da prisão de Pinheiros, em São Paulo, onde ficou detido o executivo do Facebook Diego Dzodan. 01/03/2016 REUTERS/Paulo Whitaker