Como um erro de digitação de hacker ajudou a parar um roubo a banco bilionário

quinta-feira, 10 de março de 2016 13:19 BRT
 

DACA, Bangladesh (Reuters) - Um erro de digitação em uma transferência online de fundos ajudou a impedir um roubo de quase 1 bilhão de dólares no mês passado envolvendo o banco central de Bangladesh e o Federal Reserve de Nova York, afirmaram autoridades.

Hackers não identificados, porém, conseguiram levar cerca de 80 milhões de dólares em um dos maiores roubos a bancos já conhecidos na história.

Os hackers invadiram os sistemas do banco central de Bangladesh no mês passado e roubaram credenciais para transferências de pagamentos, afirmaram duas autoridades da instituição monetária.

Eles então bombardearam o Fed de Nova York com dezenas de pedidos de transferência de dinheiro da conta do Banco de Bangladesh para outras entidades nas Filipinas e Sri Lanka, disseram as autoridades.

Quatro pedidos para transferência de um total de cerca de 81 milhões de dólares foram realizados, mas um quinto, de 20 milhões, para uma organização sem fins lucrativos do Sri Lanka, não foi aceito porque os hackers escreveram errado o nome da ONG.

O nome completo da ONG não foi divulgado. Mas uma das autoridades afirmou que os hackers escreveram errado "foundation", que aparece no nome da organização, e digitaram "fandation". A palavra errada fez o banco que direcionaria a transferência, Deutsche Bank, buscar esclarecimentos com o banco central de Bangladesh, que interrompeu a transação.

Representantes do Deutsche Bank não comentaram o assunto.

Ao mesmo tempo, um número incomumente elevado de instruções de pagamento e os pedidos de transferência para entidades privadas causou suspeitas no Fed, o que fez com que a autoridade monetária dos Estados Unidos também alertasse o governo de Bangladesh.

Os detalhes sobre como o golpe foi descoberto e interrompido antes que causasse mais estragos não tinham sido divulgados anteriormente. O Banco de Bangladesh tem bilhões de dólares em uma conta corrente no Fed, utilizada para acordos internacionais.   Continuação...