Clientes de telefonia móvel da Áustria pagam mais após fusão de operadoras, diz estudo

segunda-feira, 14 de março de 2016 18:14 BRT
 

VIENA (Reuters) - A Áustria, vista como um caso de teste sobre os efeitos na competição de um mercado com poucos participantes, descobriu que usuários estão pagando mais por algumas tarifas ante o que era cobrado pelas operadoras antes de uma fusão ocorrida em 2013, que reduziu o número de empresas do setor de quatro para três.

A agência reguladora de telecomunicações RTR e a agência de regulação da concorrência da Áustria informaram que as soluções antitruste impostas sobre a Drei Austria, unidade da Hutchison Whampoa, que comprou a Orange Austria três anos atrás, ainda mostram efeitos limitados.

As conclusões divulgadas nesta segunda-feira serão avaliadas por autoridades que acompanham o progresso da Hutchison Whampoa em outros países na Europa. A empresa enfrenta uma grande investigação na União Europeia sobre plano de aquisição de unidade da Telefónica na Grã-Bretranha, por 10,3 bilhões de libras esterlinas (equivalentes a 15 bilhões de dólares).

A Hutchison recebeu solicitação da Comissão Europeia para alugar instalações de sua rede para operadoras menores que não possuam infraestrutura própria de comunicação para aparelhos móveis. Mas levou quase dois anos antes que o primeiro desses serviços rivais fosse lançado de fato.

"Podem ser observados que alguns preços de varejo ainda estão acima do nível anterior à fusão", disse o líder da RTR Johannes Gungl, em uma coletiva de imprensa. "A competição tem sofrido."

O estudo da RTR estimou aumentos de preços entre 50 por cento e 90 por cento em média para usuários de celulares inteligentes na Áustria em 2013 e 2014.