Chinês se declara culpado em conspiração para hackear empresas dos EUA

quarta-feira, 23 de março de 2016 19:44 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - Um executivo chinês se declarou culpado nesta quarta-feira por conspirar para invadir as redes de grandes prestadores de serviços de defesa, incluindo a Boeing, disse o Departamento de Justiça dos Estados Unidos em um comunicado.

Su Bin, 50 anos, enfrenta uma sentença máxima de cinco anos por alegações de conspiração com duas outras pessoas na China para obter dados militares sensíveis e exportá-los ilegalmente.

O advogado de Su, Robert Anello, disse por e-mail: "ao resolver esse problema Su Bin espera seguir com sua vida".

De acordo com documentos do governo norte-americano, Su começou a trabalhar em 2008 para colocar as empresas norte-americanas como alvo. Em 2010, ele enviou um arquivo por e-mail a uma pessoa não identificada na China com informações sobre o avião militar de transporte C-17 da Boeing.

Su também ajudou os conspiradores a decidir quais funcionários das empresas deveriam ser visados e traduziu documentos de inglês para chinês.

Preso no Canadá em 2014, Su finalmente consentiu com a extradição para os EUA, disse o Departamento de Justiça.

(Por Dan Levine)