Rastro de golpe cibernético sugere que hackers eram chineses, diz senador filipino

quarta-feira, 6 de abril de 2016 10:14 BRT
 

Por Karen Lema

MANILA (Reuters) - O senador filipino Ralph Recto disse nesta quarta-feira que hackers chineses provavelmente realizaram um dos maiores roubos cibernéticos do mundo no banco central de Bangladesh, citando a rede de chineses envolvidos na transferência do dinheiro roubado até Manila.

Hackers não identificados infiltraram-se nos computadores do Banco de Bangladesh no começo de fevereiro e tentaram transferir um total de 951 milhões de dólares de sua conta no Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, de Nova York.

Todas, menos uma, das 35 tentativas de transferência foram para o Rizal Commercial Banking Corp (RCBC, na sigla em inglês), confirmando a centralidade das Filipinas no roubo.

A maior parte das transferências foi bloqueada, mas um total de 81 milhões de dólares foram para quatro contas de uma única agência do RCBC. O dinheiro roubado foi rapidamente transferido para uma corretora de câmbio e distribuído a cassinos e agentes de apostas em Manila.

"O 'hacking' foi feito, e as chances são de que foi feito por hackers chineses", disse o senador Recto à Reuters em uma entrevista por telefone. "Então eles viram isso, que nas Filipinas, o RCBC é particularmente vulnerável e enviaram o dinheiro para cá."

Pequim foi rápida em condenar os comentários de Recto. A sugestão de que hackers chineses possivelmente estão envolvidos "é completamente absurda" e "realmente irresponsável", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, a repórteres.