Reguladores antitruste da UE abrem nova acusação contra Google

quarta-feira, 20 de abril de 2016 19:02 BRT
 

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia acusou o Google nesta quarta-feira de usar sua posição dominante, por meio do sistema operacional para aparelhos móveis Android, para expulsar rivais do mercado, abrindo uma segunda frente de batalha contra a gigante norte-americana de tecnologia que pode resultar em grandes multas.

Os reguladores antitruste da União Europeia disseram que, ao solicitar que fabricantes de celulares pré-instalem o buscador do Google e o navegador Google Chrome para obter acesso a outros aplicativos do Google, a empresa estava prejudicando os clientes, dificultando a competição.

"Nós acreditamos que o comportamento do Google nega aos consumidores uma série de escolhas de aplicativos para aparelhos móveis e serviços e atrapalha a inovação de outros participantes do mercado", disse a Comissária de Competição da União Europeia, Margrethe Vestager.

O Google já enfrenta acusações na UE sobre a promoção de seu serviço de compras em buscas da Internet às custas de serviços rivais, em um caso que tem se arrastado desde o fim de 2010 apesar de três tentativas de solucionar os problemas.

O Google, que tem 12 semanas para responder às acusações, disse que o Android era um sistema notável, baseado em um software com código aberto e aberto à inovação.

"Estamos ansiosos para trabalhar com a Comissão Europeia e demonstrar que o Android é bom para a competição e para clientes", disse o advogado geral do Google, Kent Walker.

(Por Foo Yun Chee; reportagem adicional por Eric Auchard, Harro ten Wold e Se Young Lee)