FBI pagou mais de US$1,3 mi para invadir iPhone de atirador de San Bernardino

quinta-feira, 21 de abril de 2016 15:57 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O diretor ddo FBI James Comey disse nesta quinta-feira que a agência pagou mais para acessar o iPhone de um dos atiradores de San Bernardino do que ele ganhará nos sete anos e quatro meses restantes que ele tem de trabalho.

De acordo com dados do FBI e do Escritório de Administração e Orçamento dos Estados Unidos, o salário anual de Comey desde janeiro de 2015 é de 183,3 mil dólares. Sem aumento ou bônus, Comey ganhará 1,34 milhão de dólares no restante do seu trabalho.

Isso sugere que o FBI pagou o maior valor já divulgado a uma técnico de hacking, uma vez que o maior montante pago previamente foi de 1 milhão de dólares para a empresa de segurança da informação Zerodium invadir telefones.

Falando no Fórum de Segurança Aspen em Londres, Comey foi questionado por um moderador quanto o FBI pagou pelo software que eventualmente invadiu o iPhone.

"Um monte. Mais do que eu vou ganhar no resto deste trabalho, que é de sete anos e quatro meses, com certeza", disse Comey. "Mas, na minha opinião, valeu a pena."

O Departamento de Justiça dos EUA disse em março que desbloqueou o iPhone de um dos atiradores de San Bernardino com a ajuda de uma terceira parte não identificada e desistiu do caso contra a Apple, encerrando uma diputa legal, mas deixando o debate sobre criptografia sem desfecho.

Comey disse que o FBI será capaz de usar o software utilizado no telefone de San Bernardino em outros iPhones 5C rodando o software IOS 9.

O FBI teve acesso ao iPhone usado por Rizwan Farook, um dos atiradores que mataram 14 pessoas em San Bernardino, Califórnia, em 2 de dezembro.