EXCLUSIVO-Oi iniciará conversas sobre restruturação de bônus nesta semana, dizem fontes

segunda-feira, 25 de abril de 2016 08:46 BRT
 

Por Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO (Reuters) - A Oi iniciará conversas para reestruturar 14 bilhões de dólares em bônus a partir desta segunda-feira, disseram fontes familiarizadas com a situação, colocando alguns dos maiores investidores do mundo uns contra os outros conforme a operadora mais endividada do Brasil luta pela sobrevivência.

Segundo uma fonte, a Oi e sua assessora PJT Partners sentarão com um grupo de cerca de 25 detentores de bônus, incluindo Pacific Investment Management, BlackRock e Citadel. A Moelis & Co está aconselhando o grupo, que pode assinar acordos de não divulgação para entrar nas negociações e ter acesso à proposta de restruturação, acrescentou a fonte.

A Oi quer negociar com detentores de bônus que "se importam com o futuro da companhia", disse uma segunda fonte, que pediu para ficar anônima para falar livremente sobre o plano.

A decisão de iniciar conversas com o grupo assessorado pela Moelis não deixa claro como ou se a Oi vai negociar com outros credores como fundos de hedge que compraram "credit default swaps" ligados aos bônus da Oi.

A restruturação da Oi seria a segunda maior da América Latina, atrás de uma de 15 bilhões de dólares da dívida da fabricante de cimento mexicana Cemex SAB em 2009, mostraram dados compilados pela Thomson Reuters. O acordo da Oi também seria muito maior que a restruturação de 5,2 bilhões de dólares da OGX Petróleo e Gás dois anos atrás, até o momento o maior acordo do tipo no Brasil.

Em risco está o destino da Oi, produto de uma fusão patrocinada pelo governo oito anos atrás e a única operadora de telefonia brasileira controlada por capital doméstico.

Alguns acionistas acreditam que uma reestruturação facilitaria uma potencial aquisição da Oi, que afirmam que poderia reduzir a distância das rivais Telefônica Brasil e Claro, do grupo América Móvil.

"Diferentes investidores podem abraçar diferentes estratégias, tornando essa situação como um jogo de xadrez de quatro jogadores no qual você não entende a estratégia de ninguém até o último minuto", disse Paolo Gorgó, investidor baseado na Itália que analisa casos de empresas endividadas em problemas e restruturação para diversas newsletters.   Continuação...

 
Logo da Oi visto em São Paulo.    02/10/2013     REUTERS/Nacho Doce