Acordo entre Apple e serviço de transportes urbanos chinês aquece corrida por carros tecnológicos

sexta-feira, 13 de maio de 2016 18:09 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - O investimento de 1 bilhão de dólares feito pela Apple na empresa de compartilhamento de veículos chinesa Didi Chuxing intensifica uma corrida para adquirir tecnologia, talentos e acesso ao mercado no setor de transportes pessoais, que evolui rapidamente no mundo.

O investimento da Apple acontece com os executivos e investidores das indústrias automobilísticas e de tecnologia apostando que os sistemas de direção autônoma, veículos elétricas e compartilhamento de corridas eventualmente convergirão para permitir que as empresas vendam corridas em veículos autônomos, gerando receitas dia e noite.

Para a Apple, o investimento no serviço líder de compartilhamento de caronas na china pode expandir sua presença em um mercado "muito, muito importante" e servir a outros fins também, disse o presidente-executivo da empresa, Tim Cook, à Reuters.

"Nós estamos fazendo o investimento por várias razões estratégicas, incluindo uma chance de entender mais sobre certos segmentos do mercado chinês e nós também vemos várias oportunidades para uma cooperação mais próxima entre as duas empresas. É claro, nós também acreditamos que isso nos entregará um retorno muito forte para o nosso capital investido com o tempo", disse Cook, em uma entrevista na quinta-feira.

Analistas dizem que o investimento da Apple também podem ajudar a impulsionar as relações com o governo chinês e criar um obstáculo no caminho de rivais como a Alphabet e o Google Technologies, dentre outros, que estão tentando lucrar com a reconstrução do mercado de transportes pessoais.

O investimento da Apple nos serviços de transportes urbanos destacam uma elevação nos acordos de tecnologia automotiva, que cresceram em 58 por cento em 2015, com um salto de 154 por cento nos financiamentos, de acordo com a base de dados de venture capital to CBInsights. Em 51 acordos, os investidores colocaram 409 milhões de dólares em empresas de tecnologia automobilística em 2015.

(Por Alexandria Sage e Julia Love; reportagem adicional por Joseph White)