Juiz dos EUA investiga Uber sobre alegações de fraude em caso antitruste

quarta-feira, 8 de junho de 2016 19:06 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Uber deve entregar documentos para um juiz de Nova York examinar se investigadores particulares contratados pela companhia buscaram informações sobre seus rivais em um caso antitruste, segundo uma decisão do tribunal desta terça-feira.

O juiz distrital Jed Rakoff está buscando determinar se o Uber instruiu um investigador a mentir para extrair informações sobre Spencer Meyer, principal demandante do processo antitruste e seu advogado.

O processo, apresentado em dezembro, alega que o presidente-executivo do Uber, Travis Kalanick, se envolveu em esquema de preços fixos com motoristas do Uber. A ação coletiva proposta nomeia Kalanick, e não a empresa, embora o Uber esteja buscando intervir no processo.

Numa instância, um investigador contratado pelo Uber teria ligado para os colegas profissionais do advogado de Meyer e declarado falsamente que estava compilando um perfil de advogados trabalhistas promissores nos EUA", escreveu Rakoff.

Em documentos do tribunal, os advogados de Kalanick finalmente reconheceram a contratação de um investigador de uma empresa chamada Ergo para encontrar informações sobre Meyer, após terem negado o assunto.

No entanto, o Uber negou em documento do tribunal que soubesse que o investigador havia mentido ou escondido sua identidade. Um porta-voz do Uber não quis comentar.

(Por Heather Somerville e Dan Levine)