Coreia do Norte intensifica ataques cibernéticos contra o Sul, diz Seul

segunda-feira, 13 de junho de 2016 11:06 BRT
 

Por Jack Kim

SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte invadiu mais de 140 mil computadores de 160 empresas e agência governamentais sul-coreanas e plantou códigos destrutivos, parte de um plano de longo prazo que assenta as bases de um ataque cibernético de larga escala contra seu vizinho, disse a polícia da Coreia do Sul nesta segunda-feira.

Seul está em estado de alerta contra invasões virtuais do Norte desde que Pyongyang realizou um teste nuclear em janeiro e o lançamento de um foguete de longo alcance no mês seguinte, que levou a novas sanções da Organização das Nações Unidas (ONU).

A Coreia do Norte negou qualquer ato ilegal.

A invasão cibernética começou em 2014 e foi detectada em fevereiro, depois que a Coreia do Norte conseguiu roubar informações de dois conglomerados, inclusive de materiais relacionados à defesa, segundo a unidade de investigação cibernética da Coreia do Sul.

"Existe uma grande possibilidade de que o Norte tenha almejado causar confusão em escala nacional lançando um ataque simultâneo depois de visar muitos alvos de ciberterrorismo, ou pretendido continuar a roubar segredos industriais e militares", afirmou a unidade.

Os hackers não agiram depois de obter o controle de servidores e computadores de alguns grupos corporativos e esperaram, continuando a invadir mais alvos, o que a polícia disse ser provavelmente um esforço para preparar a escala de um ataque planejado.

(Reportagem adicional de Jee Heun Kahng, Ju-min Park e Hyunjoo Jin)