EUA abrem investigação contra Tesla após colisão fatal no modo automatizado

quinta-feira, 30 de junho de 2016 18:53 BRT
 

Por David Shepardson

(Reuters) - A U.S. National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), órgão regulador do mercado de segurança viária dos EUA, afirmou nesta quinta-feira que está abrindo investigação preliminar sobre 25 mil carros Model S da Tesla Motors após o motorista de um dos veículos morrer ao usar o modo piloto automático.

A agência disse que a colisão ocorreu com um Model S 2015 que operava com os sistemas automatizados de direção ligados, e "pede verificação do design e performance de quaisquer auxiliares de direção usados no momento da batida". A investigação é o primeiro passo antes que a agência possa pedir um recall caso constate que os veículos não são seguros.

A NHTSA disse em comunicado que o motorista do Model S 2015 foi morto enquanto operava no modo piloto automático no dia 7 de maio em Williston, na Flórida. A agência disse que relatórios preliminares indicam que a colisão ocorreu quando um trator fez uma curva à esquerda na frente do veículo em um cruzamento.

A Tesla disse, por meio de um post de blog, que esta é a primeira fatalidade que se tem conhecimento em mais de 130 milhões de milhas de operação do modo piloto automático.

A montadora afirmou que "nem o piloto automático nem o motorista perceberam a lateral branca do trator contra a claridade do céu, portanto o freio não foi ativado".

A Tesla disse que "o piloto automático está melhorando sempre, mas não é perfeito e ainda exige que o motorista fique alerta. Não obstante, quando usado em conjunção com a vigilância do motorista, é inequívoco que o piloto automático reduz o trabalho e os resultados do motorista em uma melhora estatística significativa quando comparada com a direção puramente manual".

(Reportagem adicional de Alexandria Sage)