FBI diz que Hillary foi extremamente descuidada com emails, mas não recomenda acusação

terça-feira, 5 de julho de 2016 18:36 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O FBI recomendou nesta terça-feira que nenhuma acusação criminal seja feita contra Hillary Clinton por ela ter usado servidores privados de e-mail enquanto era secretária de Estado, mas repreendeu veementemente a candidata democrada à Presidência dos Estados Unidos por lidar com extremo descuito com informações confidenciais.

Apesar do anúncio do diretor do FBI, James Comey, ter removido a nuvem de incertezas envolvendo a campanha da democrata à Casa Branca, a dura crítica deve alimentar os ataques do candidato republicano, Donald Trump, sobre a questão o uso dos e-mails.

A polícia federal norte-americana encontrou evidências de uso “extremamente descuidado” de e-mails por Hillary, e também que pelo menos 110 e-mails continham informação confidencial quando foram enviados, disse Comey, apesar de Hillary ter dito repedidamente que jamais recebeu ou enviou informações confidenciais pelo servidor privado.

"Embora nós não tenhamos encontrado provas claras de que a secretária Hillary Clinton ou seus colegas tivessem a intenção de violar as leis que regem o tratamento de informações confidenciais, há evidência de que eles foram extremamente descuidados ao lidar com informações muito sensíveis e confidenciais", disse Comey.

Mas, segundo ele, o FBI concluiu que “nenhum procurador razoável” acusaria Hillary.

“Embora o Departamento de Justiça tome decisões finais em assuntos como esse, estamos expressando a nossa visão de que nenhuma acusação é apropriada nesse caso”, disse Comey a repórteres em Washington. 

Sua recomendação deve prevalecer. A procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, disse na sexta-feira que deve aceitar as recomendações de procuradores de carreira e do diretor do FBI sobre se acusará ou não Hillary por mau gerenciamento de e-mails. 

A investigação chegou a prejudicar Hillary no ano passado, contribuindo para seus baixos números de avaliação e confiança de eleitores. Republicanos têm dito que ela se considera acima da lei, utilizando o caso como referência. 

Donald Trump, rival republicano de Hillary nas eleições de 8 de novembro, a tem criticado sobre a questão, dizendo que a investigação deve desqualificá-la como candidata à Presidência. Na terça-feira, ele disse que a decisão do FBI era injusta. 

“O sistema está fraudado”, disse ele no Twitter. “Como sempre, mau julgamento.”

(Por John Whitesides e Julia Edwards)