Senadores dos EUA pedem que Obama priorize cibercrime em reunião do G20

segunda-feira, 29 de agosto de 2016 18:35 BRT
 

Por Jonathan Spicer

NOVA YORK (Reuters) - Seis senadores dos EUA pediram que o presidente Barack Obama priorize o cibercrime durante a reunião do G20 neste fim de semana na China, após o roubo de 81 milhões de dólares do banco central de Bangladesh, segundo carta obtida pela Reuters.

A carta de Sherrod Brown, democrata do Comitê sobre Bancos do Senado, e outros cinco senadores pede Obama pressione os líderes das maiores economias do mundo para se comprometerem com uma "estratégia coordenada de combate ao cibercrime em instituições financeiras críticas", nos comunicados do G20 na cúpula de 4 e 5 de setembro na China.

A carta cita o incidente de fevereiro no qual hackers invadiram sistemas do Banco de Bangladesh e usaram a rede bancária Swift para demandar quase um bilhão de dólares de uma conta no banco do Federal Reserve em Nova York. Algumas dezenas de ordens foram preenchidas, com boa parte dos 81 milhões de dólares perdidos desaparecendo em cassinos das Filipinas.

"Nossas instituições financeiras são conectadas para facilitar o comércio global, mas cibercriminosos, independentes ou patrocinados por Estados, colocam em perigo esse sistema internacional de maneira que poucas ameaças conseguem", disseram os senadores na carta a Obama.

"Pedimos enfaticamente que você trabalhe com os demais líderes e priorize essa discussão na reunião do G20 em setembro", disse a carta, em referência à reunião de cúpula das 20 principais economias do mundo em Hangzhou, na China.