Samsung anuncia recall de Galaxy Note 7 após fogo em baterias

sexta-feira, 2 de setembro de 2016 15:49 BRT
 

SEUL (Reuters) - A Samsung Electronics vai substituir celulares Galaxy Note 7 equipados com baterias propensas a pegar fogo e interromper as vendas do produto em 10 mercados, em um revés significativo para o que vinha sendo uma recuperação da área de dispositivos móveis do grupo.

Koh Dong-jin, diretor da divisão de celulares inteligentes da Samsung, afirmou a jornalistas que lamenta o recall e que a substituição vai afetar mercados que incluem a Coreia do Sul e os Estados Unidos, mas não a China, onde o aparelho foi equipado com uma bateria diferente.

O anúncio desta sexta-feira ocorreu duas semanas depois do lançamento do aparelho e após relatos de que o celular que custa 988,9 mil wons (885 dólares) pegou fogo enquanto estava sendo carregado na tomada.

"Não consigo dizer quanto será o custo, mas me dói no coração o fato de que será um número grande", disse Koh.

A escala do recall não tem precedentes para a Samsung, que se orgulha de sua força produtiva.

"Estou mais preocupado sobre a potencial redução nas vendas do que com os custos do recall", disse o analista Jay Yoo, da Korea Investment & Securities. "O recall provavelmente será um golpe para o resultado (da empresa)."

A Samsung afirmou que as vendas do Note 7 serão retomadas nos mercados afetados assim que a empresa lidar com o recall, um processo que deve levar duas semanas.

O produto teve o início das vendas suspenso no Brasil. A expectativa é que o Note 7 começasse a ser comercializado em 23 de setembro, informou a empresa. "O lançamento no país será adiado. Esse processo visa garantir que a Samsung continuará a fornecer produtos da mais alta qualidade", afirmou a companhia sem estimar quando será o lançamento do aparelho no país.

A divisão de celulares da Samsung foi responsável por cerca de 54 por cento do lucro operacional da companhia no primeiro semestre, de 14,8 trilhões de wons.