Pesquisa da Nasa em asteróide pode encontrar pistas para origem da vida na Terra

terça-feira, 6 de setembro de 2016 19:53 BRT
 

CABO CANAVERAL (Reuters) - Uma pesquisa espacial realizada pelos EUA foi liberada para lançamento na quinta-feira, para coletar e trazer de volta amostras de um asteróide, na esperança de aprender mais sobre as origens da vida na Terra e talvez em outros lugares do sistema solar, disse a Nasa nesta terça-feira.

O foguete Atlas 5, da United Launch Alliance, está com o lançamento agendado na Estação da Força Aérea dos EUA em Cabo Canaveral, na Flórida, para enviar o robô explorador Osiris-Rex em uma missão de sete anos.

O Osiris-Rex se dirigirá para o asteróide de 500 metros de extensão chamado Bennu, que circula o sol quase na mesma órbita que a Terra. Cientistas estimam que haja uma chance em 800 de que o Bennu possa atingir a Terra daqui a 166 anos.

O calor do sol empurra o asteróide, e mapear seu caminho é uma das metas da missão, avaliada em 1 bilhão de dólares. A agência espacial norte-americana também espera que o Osiris-Rex demonstre o avanço das técnicas de imagem e mapeamento necessárias para futuras missões científicas e próximas expedições comerciais de mineração em asteróides.

O Osiris-Rex deve chegar a Bennu em agosto de 2018 e começar um estudo de dois anos sobre suas características físicas e composição química. A nave movida a força solar irá então para a superfície de Bennu e estender um braço robótico para coletar pelo menos 60 gramas do que os cientistas esperam que seja um material rico em carbono.

"Vamos ao asteróide Bennu porque é uma cápsula do tempo para os estágios iniciais da formação do sistema solar, quando nosso sistema planetário estava disseminado como um turbilhão de poeira ao redor da nossa protoestrela", disse o pesquisador-chefe Dante Lauretta, da Universidade do Arizona, a jornalistas.

(Por Irene Klotz)