Investidores dizem que oferta pela Oi pode atrair credores

sexta-feira, 9 de setembro de 2016 08:48 BRT
 

Por Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) - Investidores que planejam fazer uma oferta para assumir a operadora de telecomunicações em recuperação judicial Oi disseram que podem conquistar os credores descontentes com uma oferta mais atraente para o pagamento da dívida do que a apresentada pela empresa no início desta semana.

Um grupo de potenciais licitantes, liderados pela boutique de investimento ACGM, baseada em Nova York, e a paulistana Íntegra Associados, disse à Reuters que seu plano vai incluir uma mudança financeira e operacional da Oi que reembolsará os credores da empresa mais rapidamente.

Após os credores de pelo menos 40 por cento da dívida não garantida da Oi rejeitarem a proposta de reestruturação apresentada na segunda-feira pela administração da empresa, o grupo tomou a dianteira e disse à Reuters que pretende apresentar uma contraproposta.

"Uma coisa que distingue a nossa proposta é que ela é ao mesmo tempo um plano de reestruturação financeira e operacional", disse Carlos Abadi, sócio fundador da ACGM.

Renato Carvalho Franco, sócio fundador da Íntegra acrescentou: "Nós entendemos as questões relacionadas a ambos os lados", os acionistas e os credores da empresa.

ACGM e Íntegra afirmam que representam cerca de três dezenas de investidores, mas estão proibidas de revelar seus nomes devido a acordos de confidencialidade. Os potenciais investidores incluem fundos de hedge, empresas de private equity e pelo menos uma operadora de telefonia, disseram.

No plano da Oi, os detentores de dívida sem garantia amargariam uma baixa contábil de 22 bilhões de reais, o que significa um corte de 70 por cento no valor do principal.

A ACGM disse que seu plano preliminar propõe um desconto de 60 por cento sobre o valor nominal da dívida não garantida e prazo de pagamento mais curto para credores garantidos, tais como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).   Continuação...