Problemas de privacidade do Facebook podem não ser infrações de competição

sexta-feira, 9 de setembro de 2016 16:00 BRT
 

BRUXELAS (Reuters) - Os problemas do Facebook com reguladores de privacidade da União Europeia não significam que a rede social infringiu as regras de competição do bloco, disse a chefe antitruste da UE, Margrethe Vestager, nesta sexta-feira.

"A autoridade alemã avalia se o Facebook possa forçou seus usuários a aceitar termos de privacidade não alinhados com as regras de proteção de dados", disse Margrethe, no texto de um discurso que seria apresentado numa conferência em Copenhagen.

"Mas, mesmo se o Facebook infringiu estas regras, isso não significa automaticamente que a empresa também infringiu leis de competição", disse.

O governo alemão criticou o Facebook no passado, enquanto líderes políticos e reguladores também se queixaram de que a maior rede social do mundo, com 1,6 bilhão de usuários, têm sido lenta ao combater o discurso de ódio e mensagens xenófobas.

O Facebook aumentou a preocupação dos reguladores no mês passado quando afrouxou a política de privacidade do WhatsApp, serviço de troca de mensagens mais popular do mundo, levando o órgão líder dos reguladores de privacidade da Europa a dizer que observaria criteriosamente a mudança.

(Por Foo Yun Chee)