Empresas de tecnologia dos EUA defendem mudança em sistema de supervisão da Internet

terça-feira, 13 de setembro de 2016 12:27 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - Grandes companhias de tecnologia incluindo Facebook, Google e Twitter estão cobrando do congresso dos Estados Unidos apoio para um plano em que o governo norte-americano cederá o controle do sistema de supervisão da Internet para a comunidade global.

O Departamento de Comércio dos EUA tem o papel de supervisão da gestão da Internet, principalmente porque a rede mundial de computadores se desenvolveu no país. Alguns parlamentares republicanos estão tentando bloquear a entrega do sistema para membros da comunidade global, algo que incluiria empresas, especialistas em tecnologia e defensores de interesses públicos. Segundo os parlamentares, a cobrança pode prejudicar a liberdade online ao dar direitos de votos a governos autoritários.

O plano de transferir a supervisão da Internet da organização não lucrativa Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN) está marcado para ocorrer em 1 de outubro a menos que o congresso dos EUA bloqueie a transferência.

Em uma carta datada de 13 de setembro, segundo cópia obtida pela Reuters antes de ser enviada, as empresas de tecnologia afirmam que é imperativo que o congresso dos EUA não atrase a transição.

"Uma Internet global e estável é essencial para nossa segurança econômica e nacional e continuamos comprometidos em completar a transição de quase vinte anos para um modelo de múltiplos participantes que melhor servirá aos interesses dos EUA", afirmam as empresas na carta.

Outras empresas que assinam o documento incluem Amazon, Yahoo e várias organizações da área de tecnologia.

O senador Ted Cruz, do Texas, lidera a oposição à transferência. Ele vai realizar uma audiência no congresso na quarta-feira para rever a transição, criticada por ele como uma "entrega de nossa liberdade na Internet".

(Por Dustin Volz)