Curso online do Vale do Silício quer moldar engenheiros para direção autônoma

terça-feira, 13 de setembro de 2016 18:42 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Vale do Silício está criando um curso intensivo sobre tecnologia para direção autônoma para solucionar a escassez de engenheiros com a ajuda de uma startup de um campo diferente: educação online.

Quase todas as grandes empresas de tecnologia, montadoras e serviços de transportes urbanos, ao que parece, estão desenvolvendo ou criando parcerias com desenvolvedores de tecnologia autônoma, desde a dona do Google, Alphabet, até Tesla, General Motors e Uber Technologies, criando uma demanda insaciável por pessoas que ensinem as máquinas a pensar.

Dentro de cerca de um ano, um sedã Lincoln poderá utilizar a direção autônoma para ir de Mountain View a San Francisco usando um software desenvolvido por cerca de 250 estudantes matriculados na startup de educação Udacity, se tudo ocorrer de acordo com os planos.

O objetivo do programa é um caminho mais rápido para o emprego, em uma carreira que tem uma remuneração anual média de 138 mil dólares, disse o cofundador da empresa, Sebastian Thrun, que também lançou o projeto de carros autônomos do Google. A Mercedes-Benz, o serviço de transportes urbanos chinês Didi Chuxing e outros concordaram em considerar os alunos da Udacity para vagas de emprego.

A lista de empregadores está crescendo rapidamente. A empresa de pesquisas e base de dados de venture capital CB Insights identificou que 33 corporações estão trabalhando em carros autônomos, incluindo as montadoras GM e Volvo, gigantes da internet como Baidu e Google, empresas de tecnologia do Vale do Silício como a Intel e o serviço de transportes urbanos Lyft.

Ainda assim, a ideia de que um certificado de um programa de treinamento online garantiria um emprego em uma das tecnologias emergentes mais difíceis é considerada improvável por alguns recrutadores.

Um diploma em ciências da computação em uma universidade líder como o Massachusetts Institute of Technology ou a Universidade Stanford é o curso mais comum e ainda o preferido.

"Você teria que estar muito pressionado para dizer que um candidato da Udacity será mais qualificado porque tem um conhecimento específico sobre a direção de carros autônomos, ante alguém que tem um diploma sólido em ciências da computação ou em ciências de dados", disse o presidente-executivo da empresa de recrutamento Dave Partners, Dave Carvajal, que preenche cargos executivos em empresas de tecnologia.

(Por Heather Somerville)