Chinês culpa função de piloto automático da Tesla por acidente do filho

quinta-feira, 15 de setembro de 2016 11:43 BRT
 

Por Brenda Goh e Norihiko Shirouzu

XANGAI/PEQUIM (Reuters) - Um chinês que está processando a Tesla Motors após seu filho morrer enquanto dirigia um dos carros da fabricante de veículos norte-americana, sob alegação de que a resposta da função de "piloto automático" do carro foi responsável pelo acidente, disse seu advogado.

O piloto automático da Tesla, apresentado em outubro, se tornou centro de críticas. A companhia informou anteriormente neste mês que está atualizando o sistema com novo limites de direção e outras melhorias que iriam ajudar na prevenção de fatalidades.

O processo na China seria o primeiro envolvendo o papel do piloto automático em um acidente, embora existam outras mortes em outros lugares envolvendo a função, disse o advogado.

Gao Yaning, filho de 23 de anos de Gao Jubin, morreu em janeiro após bater na traseira de um caminhão de limpeza, enquanto dirigia o carro em uma estrada na província de Hebei, de acordo com relatório da polícia entregue pelo advogado da família, Wang Beibei.

A família acredita que o carro, um sedã Tesla Model S, de acordo com o processo, estava funcionando no modo piloto automático, disse o advogado. Ele disse que examinou imagens de vídeo do painel e buscou opiniões de especialistas e outros motoristas de carros Tesla.

"A lenta resposta programada do piloto automático falhou em medir as condições da pista e providenciar instruções", de acordo com documentos do tribunal vistos pela Reuters.

A Tesla informou em comunicado que está investigando a causa do acidente, mas "não há maneira de saber" se seu sistema de piloto automático estava ativo no momento do acidente.

"Por conta dos danos causados pela colisão, o carro estava fisicamente incapaz de transmitir dados para nossos servidores", informou a companhia.