Ministro da Alemanha dá prazo até março para luta contra discurso de ódio online

segunda-feira, 26 de setembro de 2016 16:46 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O ministro da Justiça alemão Heiko Maas disse nesta segunda-feira que o governo da Alemanha pode adotar medidas legais contra o Facebook e outras redes sociais, se essas não intensificarem sua luta contra discursos ilegais de ódio ou "fantasias terroristas" islâmicas.

Maas disse que o Facebook, o Twitter e o Google, da Alphabet, estão removendo conteúdos ilegais da internet mais rápida e frequentemente, mas que é necessário fazer mais.

Ele disse que os grupos de redes sociais respondem principalmente a pedidos de organizações governamentais, mas a maioria não leva as queixas particulares a sério.

"Do conteúdo ilegal relatado por usuários, o Twitter deleta cerca de 1 por cento, o YouTube apenas 10 por cento e o Facebook cerca de 46 por cento", disse Maas. Essas porcentagens são muito baixas, disse ele.

Maas disse que vai decidir os próximos passos após um estudo do governo ser concluído em março e não descartou medidas legais. Ele não deu mais detalhes.

"A situação melhorou, mas não está nem perto de ser boa o suficiente", disse Maas. "Nós temos que manter a pressão nas empresas".

(Por Klaus Lauer, Hans-Edzard Busesmann e Andrea Shalal)