UE diz que cibercriminosos estão a serviço de militantes

quarta-feira, 28 de setembro de 2016 19:55 BRT
 

HAIA (Reuters) - Cibercriminosos que oferecem serviços de contratações por aluguel fornecem a militantes meios para atacar a Europa, mas os grupos ainda precisam empregar as técnicas em grandes ataques, disse a agência de polícia da UE, Europol, nesta quarta-feira.

"Há atualmente pouca evidência para sugerir que sua capacidade de ciberataques se estenda além da desfiguração comum de sites", disse na avaliação anual de ameaças de cibercrime, em um ano marcado pela violência do Estado Islâmico na Europa.

Mas a sombra criminosa da internet, a Darknet, tem potencial de ser explorada por militantes que tirem vantagens de especialistas em computação, oferecendo crime como serviço, afirmou a Europol: "A disponibilidade de ferramentas e serviços de cibercrime e produtos ilícitos (incluindo armas de fogo) na Darknet cria amplas oportunidades para que esta situação mude".

O relatório apontou que as tendências do cibercrime continuam a crescer, com alguns países da União Europeia relatando mais cibercrimes que as variedades tradicionais.

"A Europol está preocupada como a crescente comunidade de cibercriminosos tem conseguido explorar mais nossa dependência da tecnologia e da internet", disse seu diretor, Rob Wainwright. "Também vimos uma marcada tendência de transição em atividades ciberfacilitadas relacionadas a tráfico de seres humanos, terrorismo e outras ameaças".

(Por Alastair Macdonald)