EXCLUSIVO-Yahoo pesquisou emails de usuários a pedido de agências de espionagem dos EUA, dizem fontes

terça-feira, 4 de outubro de 2016 19:46 BRT
 

Por Joseph Menn

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - O Yahoo criou secretamente um software personalizado para pesquisar todos os emails recebidos por usuários de seus serviços. O programa buscava informações específicas requeridas por autoridades de inteligência dos Estados Unidos, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

A empresa cumpriu com uma diretriz secreta do governo dos EUA, pesquisando centenas de milhões de contas do Yahoo Mail por ordem da Agência Nacional de Segurança ou da polícia federal norte-americana, FBI, disseram dois ex-funcionários e uma terceira pessoa informada sobre os eventos.

Alguns especialistas em vigilância disseram que isto representa o surgimento do primeiro caso de uma empresa de Internet norte-americana a concordar com exigência de uma agência de espionagem para pesquisar todas as novas mensagens, em vez de analisar emails armazenados ou um pequeno número de contas em tempo real.

Não se sabe quais informações as autoridades de inteligência dos EUA estavam procurando, apenas que elas queriam que o Yahoo pesquisasse um conjunto de caracteres. Isto pode significar uma frase em um email ou um anexo, disseram as fontes, que não quiseram ser identificadas.

A Reuters não pode determinar quais dados o Yahoo pode ter entregado, se é que o fez, e se as autoridades de inteligência dos EUA abordaram outros provedores de emails além do Yahoo com este tipo de solicitação.

De acordo com dois ex-funcionários, a decisão da presidente-executiva do Yahoo, Marissa Mayer, de obedecer a diretriz irritou alguns executivos de alto escalão e levou à saída, em junho de 2015, do diretor de segurança de informações, Alex Stamos, que agora detém o principal cargo de segurança do Facebook.

"O Yahoo é uma empresa que obedece a legislação e cumpre com as leis dos Estados Unidos", disse a empresa em um breve comunicado em resposta às perguntas da Reuters sobre o assunto.

Através de um porta-voz do Facebook, Stamos negou um pedido de entrevista.   Continuação...

 
Logo do Yahoo é fotografado em prédio na Suíça 
12/12/2012 REUTERS/Denis Balibouse/File Photo