Capitalizada, CPM Braxis avalia aquisições inclusive nos EUA

terça-feira, 1 de abril de 2008 15:07 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A CPM Braxis, fruto da fusão em 2006 de duas prestadoras brasileiras de serviços de tecnologia da informação, obteve um aporte de 170 milhões de reais da Gávea Investimentos, que ajudou a companhia a reverter patrimônio líquido negativo e a negociar aquisições.

Segundo Jair Ribeiro, presidente da CPM Braxis, parte dos recursos foi aportada no final de 2007 e parte neste início de ano. Por isso, o patrimônio líquido, que fechou o ano negativo em cerca de 60 milhões de reais, passou a 80 milhões de reais positivos.

Além de reverter o quadro do patrimônio, os recursos injetados permitiram à empresa traçar meta de elevar receita em cerca de 25 por cento ao ano a partir de 2008.

No ano passado, a receita bruta somou 930 milhões de reais, 22 por cento acima de 2006. Esse ano, se a meta for cumprida, o faturamento irá para 1,1 bilhão de reais.

Os recursos também serão usados em um programa de aquisições de companhias da área de serviços do Brasil, América Latina e Estados Unidos. Ribeiro declarou que a empresa está em "pré-negociação" neste momento com quatro companhias.

MERCADO DE CAPITAIS

O executivo afirmou que faz parte dos planos da CPM uma oferta pública de ações na bolsa. A companhia chegou a ter o registro de companhia aberta em 2006, mas, após a entrada da Braxis na sociedade, pediu o cancelamento do registro.

"Ainda temos planos de ir à bolsa. O aporte da Gávea vem fortalecer ainda mais a companhia para que ela um dia acesse o mercado de capitais, mas não existe um prazo para isso", afirmou Ribeiro.

Ele explicou, em encontro com a imprensa nesta terça-feira, que nenhum dos sócios deixou a companhia após o novo aporte. A composição acionária da empresa passou a ser dividida em um terço nas mãos do Bradesco, um terço da antiga Braxis, atuais gestores da companhia; e um terço com um grupo de investidores composto pelo Deutsche Bank, o fundo de investimento Alothon e a Gávea, capitaneada pelo ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga.