Sony Ericsson diz que telefone com sistema Microsoft sai em dia

segunda-feira, 1 de setembro de 2008 11:47 BRT
 

HELSINQUI (Reuters) - A Sony Ericsson negou na segunda-feira que seu primeiro aparelho celular com sistema operacional da Microsoft perderá o período de vendas do Natal.

A Sony Ericsson apresentou o modelo Xperia 1 em fevereiro, dizendo que começaria a vender o aparelho na segunda metade de 2008 em mercados selecionados.

Na segunda-feira, e durante o final de semana, vários blogs de tecnologia e o jornal sueco Dagens Nyheter informaram atrasos nas vendas, citando rumores e fontes não informadas da Sony Ericsson.

"Não há nenhum tipo de atraso. O produto está em dia", disse o porta-voz da Sony Ericsson Merran Wrigley. "Nós dissemos que será lançado no quarto trimestre e estamos com a meta de realizar isso".

Fabricantes de telefone geralmente anunciam novos modelos meses antes de eles chegarem às lojas, mas introduzir um novo modelo mais de seis meses antes de suas vendas é relativamente incomum.

Com a Sony Ericsson entrando para a lista de usuários do Windows, todos os fabricantes top de aparelhos portáteis, com exceção da Nokia, irão oferecer telefones com o Windows Mobile, o qual, apesar de anos de investimentos, ainda representa apenas 10 por cento de todo o mercado de smartphones, ou telefones multifuncionais.

A empresa de programas dos Estados Unidos não atingiu sua meta de venda de 20 milhões de aparelhos em doze meses até junho de 2008, com forte competição de outras plataformas, especialmente do Blackberry, da marca RIM, e do iPhone, da Apple .

"O desafio para os fabricantes é que o Windows Mobile 6.1 tem dificuldades de atingir as altas expectativas que aparelhos como o iPhone têm colocado para os telefones", disse Ben Wood, diretor de pesquisa do CCS Insight.

"Na tentativa de superar suas perdas, nós vimos que as companhias como a HTC, a Samsung e agora a Sony Ericsson não medem esforços para dar uma nova cara ao Windows Mobile, para entregar algo mais apelativo para os consumidores em geral", disse Wood.

(Reportagem de Tarmo Virki)

REUTERS FP VS