Presidente de órgão dos EUA nega pedido da Skype para usar redes

terça-feira, 1 de abril de 2008 16:37 BRT
 

LAS VEGAS (Reuters) - Kevin Martin, o presidente da Comissão Federal de Comunicações (FCC na sigla em inglês), órgão que regula o mercado norte-americano de telecomunicações, afirmou nesta terça-feira que vai se opor ao pedido da Skype para abrir redes de telefonia sem fio aos seus equipamentos.

Como justificativa, ele citou políticas destinadas a proteger as redes das atuais operadoras de uma possível degradação da qualidade das chamadas.

Ao fazer palestra em uma feira anual da indústria de telecomunicações sem fio dos EUA, Martin disse que iria "recusar o pedido" que a Skype, hoje uma divisão da companhia de comércio eletrônico eBay, protocolou pouco mais de um ano atrás junto ao órgão regulador.

Martin agradou a audiência, composta de executivos do segmento de celular, ao dizer que iria se opor ao pedido da Skype pela necessidade de garantir o equilíbrio entre suporte à inovação e investimentos em infra-estrutura por parte das operadoras de telefonia.

O Skype atraiu centenas de milhares de usuários em todo o mundo para seu serviço de chamadas telefônicas baseadas em Internet, que são gratuitas em alguns casos. O serviço está baseado no formato máquina-máquina (peer-to-peer, em inglês), que distribui as chamadas de um computador para outro entre os assinantes do serviço.

Martin citou uma decisão da FCC em 1968, no caso Carterfone, que forçou o monopólio de telefonia Bell a abrir sua rede e permitir que equipamentos externos funcionem em redes inicialmente fechadas, desde que não provoquem danos ao sistema.

(Por Sinead Carew)