Portabilidade acirra competição em telefonia no México

quarta-feira, 2 de julho de 2008 16:10 BRT
 

Por Tomas Sarmiento

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os mexicanos passaram a ter o direito de mudar de operadora sem ter de trocar o número do telefone a partir desta semana, medida que vai aquecer a competição em uma indústria dominada pelo magnata Carlos Slim, que no Brasil controla a Claro e a Embratel.

Rivais de menor porte da empresa de celular e de telefonia fixa de Slim, a América Móvil e a Telmex, respectivamente, esperaram longo período pela chamada portabilidade numérica e agora almejam ganhar clientes das líderes de mercado.

Não ser capaz de preservar o número da linha quando troca de operadora era considerada uma barreira artificial à competição porque os clientes frequentemente são avessos a trocar de número quando ele já é amplamente conhecido de familiares e amigos.

A nova medida, que também é usada em muitos países da Europa, vai se aplicar tanto ao serviço de telefonia fixa como celular.

"É muito provável que as maiores operadoras, como América Móvil e Telmex no México... vão acabar sendo as doadoras, pelo menos nos primeiros 12 meses depois da implementação da portabilidade", disse a agência Moody's em um relatório.

Dos 70 milhões de celulares no México, a América Móvil controla 70 por cento, enquanto, das 20 milhões de linhas fixas em serviço, Telmex opera 90 por cento.

Com a nova regulamentação, rivais de menor porte na telefonia celular, como a Telefónica e a Iusacell, assim como empresas de telefonia fixa como Axtel e Alestra podem começar a seduzir os clientes da América Móvil ou da Telmex com pacotes atrativos de produtos e serviços.

Analistas dizem que é difícil calcular quantos clientes vão mudar de operadora, mas eles estimam que isso aconteça com menos de 5 por cento dos usuários de telefone, baseados na experiência européia.

No Brasil, a portabilidade numérica tanto para telefone fixo como celular entra em vigor a partir de agosto e deverá atingir todo o Brasil até março de 2009, segundo o calendário estipulado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).