Telefônica diz que normalizou 80% da Internet no Estado de SP

quinta-feira, 3 de julho de 2008 22:48 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Mais de 80 por cento dos serviços de transmissão de dados de Internet da Telefônica no Estado de São Paulo tinham voltado a funcionar na noite de quinta-feira, após um dia inteiro no qual uma pane afetou milhões de pessoas, informou a empresa em um comunicado.

De acordo com a Telefônica, até as 20h30 de quinta-feira os serviços na Grande São Paulo, nas cidades do Vale do Paraíba e no Litoral Paulista tinham sido retomados. Os vinte por cento dos clientes restantes se concentram no interior do Estado e devem ter o acesso retomado até a manhã de sexta-feira, disse o presidente do grupo no Brasil, Antonio Carlos Valente.

"Foi um problema bastante complexo e que exigiu uma técnica toda especial para que a gente fosse segmentando a rede gradativamente", disse Valente em entrevista à Globonews, sem dar mais detalhes sobre a natureza da pane.

"Vamos trabalhar toda a noite e esperamos que amanhã, sexta-feira pela manhã, tenhamos toda a nossa rede restabelecida com o nível de qualidade adequado", afirmou.

Mais cedo, a Companhia de Processamento de Dados de São Paulo (Prodesp), que tem contrato com a Telefônica em vigor desde 2005, teve todos os serviços prestados pelo governo à sociedade interrompidos ou prejudicados, como a emissão de documentos, a geração de boletins de ocorrência e mesmo as compras feitas pelo governo, que usam o sistema de pregão eletrônico.

O presidente da Prodesp, Leão Carvalho, afirmou à Reuters que o contrato prevê a aplicação de multa à operadora, mas preferiu não revelar o valor. O contrato com a companhia é de 200 milhões de reais entre 2005 e 2010.

A Anatel também estuda as implicações e pode abrir um procedimento administrativo que, se comprovar negligência, pode gerar multa de até 50 milhões de reais à Telefônica.

Perguntado sobre como a empresa responderá a eventuais cobranças por conta da falha, Valente respondeu: "a Telefônica está ciente das suas responsabilidades legais e regulamentares e as cumprirá na sua totalidade".

(Reportagem de Taís Fuoco e Maurício Savarese)