Spore, novo game da EA, quer criar novos mundos e negócios

quinta-feira, 4 de setembro de 2008 20:25 BRT
 

Por John Gaudiosi

RALEIGH (Reuters) - O novo videogame Spore, da Electronic Arts (EA), oferece aos jogadores a chance de desenvolver novos mundos, e talvez até novas linhas de negócios para a empresa de jogos norte-americana.

A nova diversão eletrônica, que permite aos usuários acompanhar a evolução de suas criaturas, é de autoria de Will Wright, o homem por trás da série de games The Sims, que teve mais de 100 milhões de unidades vendidas em todo o mundo.

Billy Pidgeon, analista de videogames da consultoria IDC, acredita que o Spore tem potencial para crescer muito globalmente, eventualmente até ofuscando o The Sims.

"Este título tem potencial de um bilhão de dólares", disse ele. O analista espera uma série de negócios a partir do lançamento, como websites e produtos para fãs, como camisetas customizadas.

Apreciadores de videogames esperam há cinco anos pelo Spore, que vai finalmente ser lançado na América do Norte no dia 7 de setembro. A Electronic Arts já gastou 50 milhões de dólares para desenvolvê-lo, segundo estimativas de Michael Pachter, analista de videogame da Wedbush Morgan Securities.

Ele projeta que a EA distribua 3 milhões de cópias do Spore com uma receita bruta de 120 milhões de dólares, e que as vendas ao consumidor final sejam de 2 milhões de cópias este ano.

Como estima que o ponto de equilíbrio seja atingido a partir da venda de 1,7 milhão de unidades, o analista acredita que a empresa "vai bem" no caminho para ter sucesso do novo produto.

"Economicamente, não é um grande negócio este ano, já que exigiu grande investimento, mas eles estão fazendo uma grande aposta de que este jogo pagará dividendos por anos", disse ele.