Ações da Sony despencam após recall de notebooks Vaio

sexta-feira, 5 de setembro de 2008 10:55 BRT
 

Por Sachi Izumi

TÓQUIO (Reuters) - As ações da Sony caíram mais de quatro por cento nesta sexta-feira, para cotação mais baixa em três anos, depois que a gigante japonesa anunciou recall de 438 mil laptops Vaio por conta de um possível superaquecimento que poderia causar queimaduras nos usuários.

A Sony vem sendo prejudicada nos últimos anos por problemas que forçaram a empresa a recolher baterias de laptops, devido à preocupação de que pudessem superaquecer e causar incêndio. Dell, Apple e outros importantes fabricantes de computadores pessoais recolheram 9,6 milhões de baterias da Sony em 2006, o que custou 51 bilhões de ienes (481,5 milhões de dólares) à empresa japonesa.

A companhia anunciou que a mais recente ordem de recolher teria impacto limitado sobre sua receita. Mas alguns observadores expressaram preocupações quanto à reputação da Sony, porque desta vez a ordem envolve um de seus principais negócios e a empresa demorou a reportar o problema.

"Não é apropriado, se considerarmos o quanto essa questão é séria", disse Toshihiro Nikai, ministro japonês do Comércio a jornalistas quando perguntado sobre a maneira pela qual a Sony conduziu o caso, já que a empresa demorou um ano para informar o público depois de primeiro descobrir o defeito.

Shinichi Tobe, porta-voz da Sony, disse que a empresa vê pouco impacto do recall sobre seus resultados, apesar do recolhimento ser um dos maiores envolvendo computadores desde 2006. Ele se recusou a informar quanto o problema custará à Sony.

Mitsushige Akino, vice-presidente de gestão de fundos na Ichiyoshi Investment Management, afirmou que um iene mais firme e um declínio nas ações dos Estados Unidos provavelmente deflagraram a queda de preço na sexta-feira, mas que a ordem de recolher laptops poderia prejudicar a marca Sony, caso a empresa volte a encontrar defeitos semelhantes.

"Caso essas coisas se acumulem e revelem que a Sony é estruturalmente fraca, seu valor de marca certamente sofrerá", afirmou.