Conclusão de processo envolvendo Intel e AMD é adiada para 2010

sexta-feira, 6 de junho de 2008 11:39 BRT
 

Por Diane Bartz

WASHINGTON (Reuters) - A data do julgamento de uma longa batalha entre as gigantes de chips Intel e Advanced Micro Devices foi adiada para 2010, afirmaram as duas empresas na quinta-feira.

Em processo aberto originalmente em 2005, a AMD acusa a Intel de dar descontos ilegais para fabricantes de computadores e retaliação contra fabricantes que usaram chips AMD ou lojas que davam espaço significativo para computadores com processadores AMD.

A Intel negou ter cometido qualquer delito.

Os dois lados dividirão 250 dias para apresentar testemunhas, com a AMD com um pouco mais de espaço que a Intel, afirmaram o advogado da AMD Chuck Diamond e o porta-voz da Intel Chuck Mulloy, que estiveram presentes na audiência no tribunal de Delaware.

O julgamento estava agendado para abril de 2009, mas foi adiado para 20 de fevereiro de 2010, afirmou Diamond.

A AMD solicitou 486 depoimentos na expectativa de provar que a Intel infringiu a lei ao competir com a empresa. A Intel procurou limitar cada empresa a 75 depoimentos.

Ainda na quinta-feira, a Comissão de Comércio da Coréia do Sul afirmou que a Intel abusou de sua posição dominante no mercado local e a multou em 25,6 milhões de dólares. A empresa afirmou que quase certamente irá apelar da decisão.

Em julho de 2007 a Comissão Européia acusou a Intel de vender chips abaixo do preço de custo e oferecer grandes descontos aos consumidores numa tentativa ilegal de retirar a AMD do mercado.

No Japão, a Comissão de Comércio concluiu em 2005 que a Intel violou o ato antimonopólio. A empresa discordou das descobertas mas aceitou a recomendação da comissão, uma medida que evitou um processo jurídico.

(Reportagem de Diane Bartz)