Pesquisa aponta que jornais deverão ser gratuitos no futuro

terça-feira, 6 de maio de 2008 12:14 BRT
 

Por Kate Holton

LONDRES (Reuters) - Os jornais que procuram competir com a Internet estão propensos no futuro a se tornarem gratuitos e dar mais ênfase a comentários e opiniões, apontou uma pesquisa com os maiores editores do mundo nesta terça-feira.

O estudo, conduzido pela Zogby International para o World Editors Forum e Reuters, revelou que os editores de jornais impressos ainda estão otimistas sobre o futuro de suas publicações, mas acreditam que terão que se adaptar para a era digital.

Cerca de 86 por cento dos entrevistados acreditam que as redações precisam se integrar mais com serviços digitais, com 60 por cento crendo que a forma mais comum de consumo de notícias dentro de uma década será via mídia eletrônica como Internet ou celulares.

"A evolução do quarto poder não é mais questão de se, e sim de como. Os editores sabem a solução: inovar. Integrar. Ou perecer", afirmou o pesquisador John Zogby.

De acordo com a pesquisa, 56 por cento dos entrevistados acreditam que a maior parte das notícias, seja via impressa ou online, será gratuita no futuro.

No ano passado, 48 por cento haviam respondido sim à essa questão.

Segundo 704 executivos pesquisados, a maior ameaça à indústria era o número cada vez menor de jovens leitores de jornais impressos.

Para enfrentar os novos desafios, mais de 30 por cento dos entrevistados gostariam de poder contratar mais jornalistas, enquanto 35 por cento gostariam de treinar os jornalistas que possuem em nova mídia.

Cerca de 60 por cento acreditam ainda que algumas funções editoriais tradicionais serão terceirizadas no futuro.

(Reportagem de Kate Holton)