Nova loja da Apple aposta em especialistas e "gênios" em Mac

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 13:54 BRST
 

Por Franklin Paul e Scott Hillis

NOVA YORK/SAN FRANCISCO (Reuters) - Na nova loja da Apple em Manhattan, os "gênios" e "concierges" que atendem os clientes com sorrisos são tão importantes quanto os iPods e computadores Mac exibidos.

A loja, a segunda maior da Apple nos Estados Unidos, tem todo um piso dedicado ao atendimento ao consumidor e assistência técnica, um dos focos da empresa e fator que ajudou a elevar seus lucros.

"O que as lojas Apple oferecem aos seus clientes é um lugar ao qual podem ir para ver e manipular os produtos e, mais importante, conversar com alguém que conhece os produtos intimamente", disse Tim Bajarin, presidente da consultoria Creative Strategies.

"Isso simplesmente não existe, no lado dos PCs. Não se consegue uma experiência semelhante na Best Buy ou na Circuit City ", disse Bajarin.

A Apple enfrentou pesadas críticas ao abrir suas lojas, em 2001, porque muitos analistas não compreendiam o interesse da empresa em entrar em um negócio desconhecido.

No entanto, a estratégia deu resultado. As lojas Apple obtiveram 1,25 bilhão de dólares em receita no mais recente trimestre fiscal da empresa, 42 por cento acima do registrado no mesmo período do ano anterior, e responderam por um quinto do faturamento total do grupo.

Existem mais de 200 lojas Apple, em cinco países, e a Apple anunciou em outubro que planeja abrir 40 novas unidades no ano que vem, entre as quais sua primeira loja na China.

A loja nova, a terceira em Nova York, dedica todo um piso à assistência técnica, consultas individuais e "pro labs" (aulas sobre como usar computadores da Apple).   Continuação...