Hacker continuou empregado pela NDS depois de pirataria

quarta-feira, 7 de maio de 2008 11:46 BRT
 

Por Tori Richards

SANTA ANA, Estados Unidos (Reuters) - Um importante executivo da News Corp. prestou depoimento informando que manteve dois hackers na folha de pagamentos por anos mesmo depois que um deles foi acusado de infiltrar o sistema de segurança da DISH Network, uma operadora rival de TV via satélite.

Abraham Peled, membro do conselho executivo de gestão da News Corp. e presidente da subsidiária NDS Group, afirmou que ele manteve Christopher Tarnovsky como funcionário depois de ser informado por outro antigo hacker de que Tarnovsky havia postado informação na Internet sobre como decodificar o sinal da rede DISH e obter gratuitamente serviços de TV via satélite.

"Nós deixamos claro que essas pessoas estavam se voltando ao lado positivo e nossa expectativa era de que combatessem a pirataria, em lugar de praticá-la. Confiávamos em Tarnovsky e o instruímos a não agir dessa maneira", disse Peled em um julgamento quanto a um escândalo de espionagem empresarial, em um tribunal federal norte-americano em Santa Ana, Califórnia.

"Evidentemente existe um risco teórico (na contratação de hackers)", acrescentou ele.

O caso de espionagem foi aberto pela EchoStar Communications, que mais tarde se dividiu em duas companhias, DISH e EchoStar, das quais a primeira é a principal queixosa no processo. A DISH alega ter sofrido prejuízos de 900 milhões de dólares em receitas perdidas e custos de reparo de sistemas.

A NDS, que oferece tecnologia de segurança à rede mundial de satélite da News Corp., que inclui o serviço DirecTV, negou que tivesse autorizado a pirataria, e afirma que o objetivo era apenas tornar mais seguro o seu sistema.

Tarnovsky era funcionário da editora HarperCollins, uma subsidiária da News Corp., e seu salário foi de 128 mil dólares em 2000. No final daquele ano, ele recebeu uma bonificação de cinco mil dólares "por ter realizado uma contribuição técnica muito boa", depôs Peled.

Uma prova oferecida anteriormente demonstrava que o código para acesso gratuito aos serviços de TV via satélite da DISH foi veiculado na Internet no mesmo mês em que Tarnovsky recebeu sua bonificação.

Peled admitiu ter sido informado das supostas atividades de Tarnovsky em 2001, e o funcionário só foi demitido em 2007.